Trocas, Relacionamentos e Mercados – Marketing Digital #05

Tempo de leitura: 30 min

Escrito por admin-infopetra
em 7 de agosto de 2021

Você já parou para pensar que toda empresa, toda mesmo, independente do tamanho dela, em algum momento teve que fazer um estudo de mercado para poder atender as necessidades do seu público-alvo? Pois é exatamente sobre isso que a gente vai falar nessa aula de hoje! ♪ Música ♪ Olá, pequeno gafanhoto! Seja bem-vindo a mais uma aula do seu Curso em Vídeo de Marketing Digital totalmente patrocinado pela Hostnet hospedagem de sites. Meu nome é Gustavo Guanabara, eu sou o seu professor, e agora nós chegamos a 4º aula de fundamentos. E nós vamos dá prosseguimento àquilo que a gente tava falando na aula anterior. E fica ligado nessa aula porque lá no meio, lá quando a gente estiver falando da matéria, eu vou usar como exemplo a Hostnet e vou falar sobre uma oportunidade que a empresa está abrindo e você que é um gafanhoto que quer empreender, que quer criar o seu próprio negócio, vai poder entrar nessa com a Hostnet. É uma oportunidade muito legal, mas vai assistindo a aula que lá no meio, vai assistindo tuuuudo, né a gente tem vários exercícios pra fazer, a gente tem muita coisa nessas aulas de Marketing Digital que estão sendo preparadas com todo o carinho para você. Mas vamos lá partir para o processo de marketing, aquilo de sempre que a gente está vendo, a gente está vendo aqui o primeiro passo que é entender as necessidades do nosso cliente e a gente já viu necessidades, desejos e demandas, já vimos produtos, serviços e experiências, valor e satisfação e agora a gente vai partir para trocas e relacionamentos e entender um pouco mais sobre mercado. Essa aula é de extrema importância, porque lá na frente, tem gente que pensa assim: “Ah, eu vou pular a parte de fundamentos, que eu não preciso ver fundamentos, quando ele começar com as dicas de Marketing Digital aí sim eu vou começar a assistir.” E aí você vai ver que lá nas aulas da frente eu vou falar: “Lembra do conceito de mercado que
eu falei lá na aula conceitual?” Eu não vou explicar de novo. A parte de fundamentos ela é muito importante para que você possa entender as dicas que a gente vai ver lá na frente. Quando a gente começar a criar uma campanha, eu vou falar sobre Matriz Swot, eu vou falar sobre os 4P’s, eu vou falar sobre mercado, definir segmentação de mercado, então você precisa desse passo a passo para poder chegar lá na frente e entender tudo que esse Curso de Marketing Digital pode te oferecer. Porque ao contrário do que muita gente fala por aí, não existe uma fórmula, não existe um passo a passo, não existe um modelo de sucesso que é fácil de atingir. Tudo precisa de estudo, tudo precisa de muita dedicação e é esse tipo de experiência que vai te levar ao sucesso. Vamos começar a falar sobre trocas e relacionamentos. O conceito de troca é bem simples,
basicamente ele diz o seguinte: o marketing ocorre quando as pessoas querem satisfazer suas necessidades e seus desejos, são dois conceitos que a gente já viu na primeira aula, se você não viu ainda ó, aqui em cima nos interatividades você tem acesso ao curso completo, se você caiu de paraquedas nessa aula, assiste as anteriores porque é muito importante. Então voltando aqui ao conceito, “O marketing ocorre quando as pessoas querem satisfazer as suas necessidades e desejos por meio de uma troca.” Ai você pode está pensando: “Pô Guanabara, mas satisfazer desejos é somente com trocas!” Não! Existem várias maneiras de satisfazer desejos e a troca é a única que pode ser atendida pelo marketing. Mas as outras maneiras são, acompanhe aqui comigo: a autoprodução, a coerção, a súplica e a troca. Vamos ver a diferença entre elas: Basicamente eu vou utilizar o mesmo exemplo, a situação é a seguinte: eu quero muito comer pizza, eu to morrendo de fome, o negócio está roncando aqui, comer uma besteirinha, quero pizza. Quais são as maneiras que eu tenho para conseguir pizza? A primeira delas é a autoprodução. Eu saio daqui, vou lá e pego todos os ingredientes, monto a minha pizza, coloco no forno, espero o tempo de preparo, termino e como a pizza. Basicamente eu não precisei de nenhuma estratégia de marketing, não precisei… nada! Eu simplesmente precisei saber fazer a pizza. Agora, outra maneira, eu não sei fazer pizza, mas a minha irmã sabe. E aí eu posso utilizar por exemplo, a coerção “Ó, faz uma pizza pra mim se não eu conto pro nosso pai que você, sei lá, tirou nota baixa em matemática.” Você precisa ter alguma estratégia de marketing para fazer coerção? Se você pegar qualquer livro de Marketing Digital, o principal exemplo que é dado em relação a coerção é o assalto, né então basicamente eu sei lá, eu quero um celular, eu não tenho como realizar essa troca, tipo, eu não tenho dinheiro para comprar o celular, então eu vou roubar. Eu vou coagir alguém a me dá o celular através de uma pistola! É um exemplo, mas eu gosto de utilizar o exemplo da irmã e ficar usando coerção por causa da nota de matemática. A outra maneira é a súplica, é quando eu falo carinhosamente: “Pelo amor de Deus irmã, pelo amor de Deus, faz uma pizza pra mim, eu nunca te pedi nada. Eu prometo que é a ultima vez que eu vou te pedir alguma coisa, mas por favor, faz uma pizza pra mim!” Basicamente, você não está oferecendo nada para ela, você simplesmente está suplicando
e para esse tipo de coisa, o marketing também não vai te ajudar. Agora, o último tópico aqui que é a troca, o marketing pode te ajudar bastante. Como seria por exemplo, uma situação para que você consiga através de troca realizar, né o seu desejo de comer pizza. Eu posso chegar pra minha irmã e falar assim: “Olha só, faz o seguinte, se você fizer uma pizza agora pra mim, amanhã eu lavo a louça de manhã.” E você pode ainda utilizar uma estratégia de marketing chamada narrativa, onde você cria uma situação e ela pode se colocar dentro dessa situação e acabar isso incentivando que ela faça a troca com você. Por exemplo, você pode chegar pra ela e falar assim: “Olha, você está muito cansada, né; você fazendo a pizza pra mim você vai ficar mais cansada ainda, mas amanhã eu lavo a louça para você,
aí você pode ficar um pouquinho mais, pode dormir um pouquinho mais, ficar embaixo do cobertor, naquele friozinho, ou se está aqui no Rio de Janeiro, né, naquele ar condicionado, você pode manter mais um pouco, fica um pouco vendo televisão, pode assistir a sua série favorita…” Não fala pra ela que ela vai poder assistir Ana Maria Braga não, que ela vai ficar chateada contigo e não vai querer fazer a troca. Então você cria uma situação em que ela fala: “Pô, tá aí, amanhã eu quero acordar um pouquinho mais tarde, vou fazer uma pizza pra esse maldito aí.” Então, segundo o conceito, existem várias maneiras da gente conseguir aquilo que a gente quer, realizar os nossos desejos, o marketing ele vai te ajudar bastante nas situações onde você quer realizar esse desejo através de uma troca. E sempre que eu falo em relação à troca, todo mundo pensa a mesma coisa: “A troca ela é realizada através de dinheiro, eu tenho um empresário, ele vai me oferecer um produto ou serviço
e em troca ele vai querer o meu dinheiro” e é ai que você se engana. Porque nem toda ação de marketing ela visa a troca por dinheiro, existem trocas de outras coisas, quer ver um exemplo? Vou te mostrar uma propaganda aqui
e eu quero que antes de você assistir, enquanto você está assistindo, que você pense: “Tá, é uma campanha, foi uma ação de marketing, qual será a troca que ele quer realizar com quem está assistindo, com o espectador?” Presta atenção, porque não é tão difícil assim de perceber. (Som) Música Viver mais e melhor Sem tabaco E aí, conseguiu perceber? Se você deve ter percebido, isso é uma campanha do governo de Açores e o governo açoriano está preocupado com alguma coisa, que é o consumo de tabaco. E todos nós sabemos, alguns só não querem né, admitir com tanta velocidade, que o tabaco faz mal a saúde. Essa campanha, é uma campanha que a gente define como anti-tabagista. Qual seria a troca realizada? A campanha te oferece uma vida melhor, mais anos de vida em troca de você deixar de fumar. Ele não está pedindo uma troca de dinheiro: “Olha, eu vou te ensinar a parar de fumar se você pagar 9 parcelas de tanto”, não tem troca de dinheiro ali. É claro que a médio e longo prazo, o dinheiro entra na coisa e eu vou te explicar como. O governo provavelmente começou a perceber que com o consumo maior do tabaco, né, do fumo, as pessoas estão precisando cada vez mais cedo ir ao médico; ao ir ao médico, procuram a rede pública de saúde, a rede pública por sua vez, começa a ficar inflada, tendo que atender muita gente, começaram a perceber que teve um aumento muito grande de pessoas com incidência de câncer de boca, câncer de pulmão e coisas relacionadas ao uso do tabaco. O que eles querem com essa campanha é diminuir o consumo do tabaco pra evitar a necessidade de ir ao médico, pra evitar o aumento da necessidade de ter que colocar médicos específicos, comprar novos aparelhos, realizar operações, porque tudo isso tem um custo muito grande para o governo. E cá entre nós, não é só lá em Açores não, aqui no Brasil também. Inclusive teve muita alteração em relação a marketing de cigarro, digo, de muitos anos pra cá. Hoje você não ver mais uma campanha oferecendo cigarro, vendendo cigarros. Eu quando eu era moleque tinha lá um cara que andava de cavalo, era todo bonitão e ele fumava um cigarro, que era vendido no meio de pessoas que achavam que o cigarro era elegante. Hoje em dia isso não acontece mais, mas de maneira alguma você ver campanhas assim como eu acabei de mostrar, sendo veiculadas na televisão aqui no Brasil. Claro que isso tem um motivo, mas eu não quero ficar discutindo isso por aqui. O fato é que: a campanha que você acabou de assistir, ela realiza um processo de troca; eu estou te oferecendo uma situação, eu estou te contando uma história legal, para que você possa ter uma vida mais tranqüila e para isso, em troca, eu peço que você deixe de fumar. Ainda no ramo de saúde, existe um aplicativo aqui no Brasil que também é relacionado a isso, não diretamente ao fumo, mas a atividades físicas. Eu não sei se você ouviu falar no HeartBit. Ele foi lançado aqui no Brasil há alguns anos atrás com o nome de Mova Mais e acabou mudando um pouco o seu modelo de negócio com o tempo e mudando também de nome. Basicamente, o que você vai fazer é instalar aplicativos compatíveis com esse tipo de tecnologia e esses aplicativos vão ficar monitorando as suas atividades durante o dia. O que o sistema propõe, é meia hora de atividade física. E se você conseguir manter essa atividade física constante, meia hora todo dia, sem pular nenhum dia, ele vai te dando mais e mais e mais pontos. Então ele utiliza alguns aplicativos, como por exemplo esses que estão aparecendo aqui do lado, o Runkeeper, que mantém um registro das suas atividades, principalmente corridas; você também tem o segundo ali, o Strava,
que vai monitorando suas atividades de pedalar, coisas de bicicleta, né, rotas que você segue; ou então o último, como o MapMyRun. Todos esses aplicativos são compatíveis com o HeartBit e eles fazem essa troca, você se exercita e em troca recebe pontos. E aí tem o esquema de por exemplo, se você ficar mais de dois dias sem se exercitar, você começa a ganhar menos pontos, então isso te incentiva a fazer sempre exercícios constantes, meia hora a cada dia, mas sem pular nenhum dia e aí lá na frente, você pode trocar cada 10 pontos ganhos com o HeartBit, você pode trocar por pontos multiplus, que aí você já sabe, você pode trocar por passagens aéreas, produtos esportivos, tem um monte de empresa que está relacionado com o produto do HeartBit. Basicamente, é uma troca de pontos onde lá no finalzinho, isso tudo vai acabar virando benefícios para você que faz atividades físicas. Isso é uma estratégia de marketing, basicamente a gente chama isso de marketing societal, a gente vai ver isso um pouco melhor na próxima aula, a gente vai falar sobre estratégia de marketing, mas basicamente, é mais um exemplo de troca que vai existir sem envolver troca financeira, o usuário não vai precisar pagar nada e nem vai receber nenhum dinheiro em troca. Ele vai receber pontos e depois ele pode trocar por produtos, então toda troca ela envolve ganhos, então, você pode ganhar mais saúde, você pode ganhar pontos, você pode ganhar dinheiro. Em teoria, existe um conceito que particularmente eu não gosto muito, mas eu vou mostrar aqui porque vários livros citam ele, que são as estratégias de ganha-ganha. Ele diz o seguinte: “Em teoria, o marketing busca uma estratégia onde as partes envolvidas tenham uma relação win-win, que é ‘ganha-ganha’.” Basicamente, ele dita que os dois lados vão ganhar, ganha quem ofereceu o produto porque recebeu o dinheiro e ganha quem recebeu o produto, porque recebeu todos os benefícios envolvidos a ele. É claro, que sempre tem um que ganha mais do que o outro, mas a ideia em teoria é que os ganhos se equiparem. Para manter esses ganhos equiparados, basicamente, para manter a pessoa, né, você consumidor ou o público-alvo comprando, adquirindo ou consumindo o seu produto, você tem o conceito de relacionamento. Esse é um conceito mais amplo, a gente vai ver melhor mais pra frente, mas é importante que a gente possa citar ele aqui, nesse momento, nesse curso introdutório. Basicamente, “O marketing consiste em ações que levem a construção e manutenção de relacionamentos de troca com o seu público-alvo.” E com certeza você já se deparou com situações de empresas que conseguem criar ótimos relacionamentos com clientes, inclusive com você mesmo, basicamente o que funciona é o seguinte: você foi lá e realizou uma venda, vamos falar de uma troca por dinheiro que é uma coisa que a gente está mais acostumada no nosso dia a dia. Então, você foi lá e comprou um produto, a empresa te vendeu um produto, só que ela te tratou tão bem, ela ofereceu uma garantia boa, um atendimento bom, uma troca de valores importantes, então, por exemplo, você deu uma quantia considerável de dinheiro para ela, mas o que ela te deu de volta, acabou equiparando a sua sensação de investimento e retorno, foi muito bom. Isso constrói o que a gente chama de relacionamento, e não é só isso, a marca te tratou bem, a marca sempre lança coisas que te interessam, tem um conjunto de acessórios, tem a continuidade do seu produto, então tudo isso conta para que seja criado um relacionamento. Aí sei lá, daqui a um ano, a empresa lança uma outra versão do produto, você vai lá e compra também, porque o relacionamento foi estabelecido, a ideia do relacionamento é que seja permanente, a troca de valores é sempre permanente. Você não vende uma vez para nunca mais vender. Quando você vende uma porcaria, né, um produto ruim, você captura o valor, mas só captura o valor uma vez. Quem nunca comprou aqueles produtos lá de qualidade duvidosa e nunca mais? Você prometeu a si mesmo: “Nunca mais eu compro esse produto”, essa marca não construiu um relacionamento com você. E tem marcas que conseguem relacionamentos tão fixos, tão poderosos com determinados mercados que fica até difícil de acreditar. Eu vou citar um exemplo aqui com uma coisa que eu tenho aqui na mesa, olha só. Não sei se você já viu isso aqui, isso aqui é um Nintendo DS, um gamezinho, é um joguinho, jogo virtual, ele é vendido pela Nintendo. Existe alguns mercados, como por exemplo, os do Japão, em que o relacionamento criado entre Nintendo e Japão é tão forte que ela por exemplo, ela lança um produto, ela lançou esse produto e no mesmo dia ou alguns meses depois lançou o mesmo produto só que com uma cor diferente. Muitas pessoas acabam comprando; ou cara, é o mesmo produto, é a mesma coisa, o resultado vai ser o mesmo, mas é de outra cor e eu gosto tanto desse produto que eu vou comprar outro. E o melhor, além de comprar outro, eu vou contar para os meus amigos porque esse produto é muito bom e eu vou indicar para que eles comprem, porque a gente vai poder jogar juntos e vai ser divertido! Isso é um nível de relacionamento muito acima daquilo que é esperado normalmente. Pessoas que compram produto mesmo sem precisar dele, simplesmente porque gostam, porque tem paixão por uma marca. Eu não sei se esse tipo de situação acontece com você, mas eu queria que você fizesse o seu primeiro exercício dessa aula, colocasse aqui nos comentários alguma marca, algum produto que conseguiu criar esse elo com você, coisas que por exemplo, poxa, sempre que eu vou no lugar tal, eu tenho que comer tal produto; ou sempre que sai um celular novo da marca x, eu tenho que comprar; você sente a necessidade de adquirir alguma coisa dessa determinada marca. Isso acontece com você? Com você ou com algum amigo seu? Tenta relatar aqui embaixo e tenta, além disso, fazer um exercício: “O que será que essa marca faz para me manter tão fiel a ela?” “Que tipo de estratégia ela faz para que eu fique louco?” Ou eu ou a pessoa que você está relatando, que fique louco, que precise realmente comprar esse produto o mais rápido possível e assim, de forma retroativa, de forma recursiva. Tenta fazer esse exercício, tenta raciocinar dessa maneira, porque isso vai ser muito importante para a próxima aula que a gente vai ter. Então essa tríade aí, de relacionamento, produtos, envolvimentos com seus amigos
é muito importante para o marketing e o objetivo aqui é mais do que simplesmente atrair novos clientes; quando você age dessa maneira, né, sabendo fazer trocas e criando relacionamentos, você tenta reter os clientes que você já tem para que eles voltem a fazer negócio com você e também expandir os negócios com novos clientes que são levados a comprar por conta dessa paixão que os seus amigos tem. Isso é extremamente valioso para o marketing e é isso que as marcas correm todos os dias. É um processo fácil? Com certeza não! Mas todo mundo está correndo atrás disso. Como eu disse anteriormente, a gente vai falar um pouco mais sobre relacionamentos e essas estratégias que eu pedi no exercício aqui embaixo, a gente vai falar um pouquinho mais pra frente; mas vai exercitando desde agora, porque quando eu falar, talvez você comece a colocar nomes nas estratégias que você mesmo acabou de imaginar nos comentários. Tenta registrar isso pra frente e usa o seu caderninho, sabe aquele teu caderninho, lá no início, que eu falei pra você ir colocando, também vai anotando isso no seu caderno, esses conceitos que são colocados aqui, isso é extremamente valioso para o seu futuro dentro do Marketing Digital, principalmente se você não é um profissional de marketing, anote esses conceitos se você for um profissional de tecnologia, se você for um profissional de qualquer outra área, que não seja especificamente marketing, se você for de marketing, provavelmente você já viu isso tudo aqui, mas se você não é, eles são conceitos muito importantes para você guardar para o futuro. Vamos agora ao último tópico desse primeiro momento que é entender as necessidades do cliente, falar um pouco sobre mercado. Basicamente, a gente vive em uma sociedade, né você vive lá no seu grupo de amigos, você tem os amigos da sua escola, os amigos do seu bairro, os amigos do seu estado, pessoas que você conhece no país inteiro, então você tem grupos, pequenos grupos, então você tem um monte de pessoas e essas pessoas podem, né, construir mercados. Se você está pensando em criar um produto e tentar atender a todo mundo, você está redondamente equivocado. Tentar atender a todo mundo é não satisfazer nenhuma dessas pessoas. Se você tenta criar um produto para atender a todo mundo, você vai acabar não atendendo a ninguém. Vou usar como exemplo aqui o Curso em Vídeo, quando eu decidi criar o Curso em Vídeo, o meu objetivo era bem claro na minha cabeça: “Eu vou atender aquelas pessoas que eu chamo de gafanhotos, que estão começando na área, que estão sentindo alguma dificuldade, foram prestes a desistir de aprender algoritmo, por exemplo, e eu vou ensinar essa galera.” Esse cara, se você é uma pessoa com esse perfil, com certeza você gostou muito do Curso em Vídeo e consome todos os vídeos que a gente coloca no ar. Agora, eu atendi todo mundo? Eu satisfiz todo mundo? Não! Tem gente que essas aulas não servem para nada, por exemplo, um cara que já é programador a mais de 30 anos, ele já aprendeu um monte de linguagem, já trabalha com isso no dia a dia, as minhas aulas não vão servir de nada pra ele e se eu começar a tentar a criar vídeos para satisfazer as necessidades desse tipo de profissional de muitos anos, eu vou parar de atender o meu público que eu decidi no início, o meu mercado que eu defini no início. Então, a primeira dica que o tio Guanabara dá aqui nessa aula é: “Nunca tente agradar todo mundo!” Filtre essas pessoas, quem são as pessoas, que tipo de perfil eu quero atender dentro do meu produto, dentro do meu serviço? E foque todas as suas forças para tentar atender as necessidades dessas pessoas, não se preocupe com as outras, as outras pessoas já vão atender as necessidades delas de outras maneiras, não necessariamente com o seu produto. O que eu posso fazer é criar, sei lá, além do Curso em Vídeo, alguma coisa, provavelmente com outro nome ou Curso em Vídeo Avançado, que vá atender essa outra pessoa, mas eu já tenho certeza na minha cabeça, se eu começar a atender esse outro tipo de pessoa, eu vou parar de atender esse tipo de pessoa aqui; aí eu posso criar dois produtos e mantê-los em paralelo e tentar ampliar o meu serviço. Basicamente, eu não consigo fazer isso porque eu sou uma empresa muito pequena, então eu continuo com esse meu público-alvo aqui e atendo ele da melhor maneira possível. A isso nós damos o nome de mercado, essa segmentação de público. “Eu quero atender pessoas que tenham um determinado perfil”, isso é muito importante que você faça a partir de agora. Segundo conceito: “Um mercado é um conjunto de compradores reais e potenciais de um determinado produto.” É preciso que você consiga traçar detalhadamente qual é o perfil desse seu mercado, a quem você vai atender, porque são eles que você vai ter que agradar, não os outros que não atendem esse perfil. Todas essas pessoas compartilham de um mesmo conjunto de desejos e necessidades que podem ser satisfeitos pelo o seu produto. A próxima coisa que a gente vai fazer nessa aula, o próximo exercício é: “Qual é o mercado que eu quero atender com o meu produto ou serviço?” “Que tipo de perfil ele tem?”
“Quais são os seus principais desejos e necessidades?” Você acabou fazendo isso já um pouquinho nas aulas anteriores, mas, faz de novo, coloca aqui embaixo nos comentários que tipo de mercado você quer atender. “Olha, eu quero atender pessoas que querem aprender a programar e estavam prestes a desistir”, esse é o mercado que eu estou procurando dentro do Curso em Vídeo. “Jovens que queiram aprender a programar”, esse também é um tipo de mercado que também faz parte daquele grupo que eu falei anteriormente. E se você está pensando que quem faz isso é só empresa pequena, é só empreendedor inicial, são as pessoas que estão estudando no início, você se engana pra caramba. Todas as empresas precisam fazer isso, até as maiores empresas. Dá uma olhadinha nessa empresa aqui. Você conhece o McDonald’s, não conhece? Qual o maior produto do McDonald’s? Hoje, com certeza, na sua cabeça, na minha também, é o Big Mac; e aí você pode está pensando: “Ah, mas Guanabara, mas todo mundo come o Big Mac, todo mundo gosta de Big Mac”, claro tem as pessoas que né, são veganas e tal, não vão, mas caramba, eu conheço, a maioria das pessoas que eu conheço gosta muito de Big Mac, ele deve vender no mundo inteiro, deve ser o maior sucesso. Será que o McDonald’s pode pensar assim? E quando eu falo de Big Mac você deve lembrar até da propaganda: Essa é uma folha de lactuca sativa, linda, fresquinha, que está a um passo de passar de simples folha de alface, para a glória de fazer parte de um Big Mac. Esta é a prova de que 7 simples ingredientes podem formar um sanduíche simplesmente genial, basta estarem no lugar certo, na hora certa. Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola e picles, num pão com gergelim. Big Mac, simplesmente perfeito. Ficou cantarolando a música, né? Esse ficou muito conhecido aqui, isso é muito legal, da propaganda, não é especificamente o marketing, mas um segmento muito importante que é a propaganda. Aí você pode está pensando: “Tá, mas então, não é preciso se preocupar com isso.” Precisa sim, eu vou criar uma situação aqui, nem todos os mercados consumiriam os Big Mac’s, por exemplo, o mercado indiano, será que o mercado indiano consumiria Big Mac? E se você está pensando:
“Ah, deve consumir!” Não consome não, querido. Isso porque, lá na Índia, por questões religiosas, em várias partes da Índia, a carne bovina não é para ser consumida. Isso porque a vaca lá, o boi lá, é considerado um animal sagrado. E aí, onde fica o Bic Mac na Índia? Será que existe McDonald’s na Índia? Existe! Só que o Big Mac de lá, ele tem uma cara diferente, dá uma olhadinha! É basicamente quase a mesma coisa, só que ele não se chama Big Mac, conheça agora o Maharaja Mac! (Propaganda do Maharaja Mac) Você viu? É basicamente um novo sanduíche! Se parece muito com o Big Mac, mas não usa carne bovina, utiliza o frango no lugar, tem opção de grelhado, opção de frito,
tem milho, leva alguns produtos que a gente não leva aqui no Big Mac. Até mesmo o molho especial, é adaptado ao mercado indiano, ao paladar do indiano
que é completamente diferente do nosso. Isso não acontece só na Índia não, o McDonald’s tem sanduíches especiais na Tailândia, na China, em vários lugares do mundo! Isso é um retrato de adaptação ao mercado. E o mercado não precisa está separado geograficamente não, grupos com poder aquisitivo diferente podem gerar mesmas necessidades, mas produtos diferentes. O exemplo que eu vou dá aqui é o da Samsung. Por exemplo, uma necessidade que está começando a acontecer constantemente, a necessidade por celulares de tela grande, né, para consumir o conteúdo, hoje em dia está muito importante, celular, a última coisa que ele vai fazer é ligação. E eles criaram uma série de produtos, o exemplo que eu estou colocando aqui, dá uma olhada na campanha dele, você já já vai entender uma diferença rapidinho de produtos semelhantes mas para segmentos diferentes. (Campanha) Você percebe que o foco da campanha foi na tela grande, olha, tem tela grande! E o resto é meio padrão, né. Tem câmera, tem sensores básicos, GPS e tudo mais, mas a tela é tela, é aquilo que você precisa! E o preço é extremamente reduzido porque eles aumentaram a tela, mas reduziram a capacidade dos componentes internos. Aí você vai falar: “Ah, isso vai atender todo mundo?” Não! Existe uma classe com o poder aquisitivo um pouco maior, que não se incomoda de comprar algo mais caro, como por exemplo, o S8, que acabou de ser lançado, acabou de ser anunciado, nem chegou no mercado ainda no momento que eu estou gravando essa aula. O Galaxy S8 ele tem uma campanha um tanto quanto mais Premium, você vê diretamente na forma de representar, na forma de apresentar o produto para o consumidor final, dá só uma olhada aí. (Campanha Galaxy S8) Você conseguiu perceber nitidamente que as duas campanhas são para públicos diferentes? E aí você pega aquele cara que é o público-alvo do J5, ele vai falar: “Pô, mais que absurdo comprar um S8! Nossa, é muito caro! Ele não te entrega tudo aquilo que ele te promete, é muito dinheiro para pouco celular.” E por outro lado, você pode ter o público do S8 falando assim: “Caramba, para que ter o J5 se o S8 é muito mais legal, tem muito mais recursos!” Deu para entender que a Samsung foi esperta o suficiente para criar dois produtos que atendem a mesma necessidade, mas de segmentos diferentes, de mercados completamente diferentes. Deu para entender como é que funcionam as coisas? E como eu disse anteriormente, a Hostnet, que é a empresa patrocinadora desse curso, ela acabou de passar por uma modificação para atender necessidades do mercado. Durante os 15 anos de vida da empresa, ela constantemente recebia ligações do tipo: “Ah, vocês são uma empresa de hospedagem? Vocês podem criar o site da minha empresa?” “Você consegue mandar um representante da sua empresa aqui na minha empresa em Salvador?” (por exemplo) E a Hostnet, uma empresa no Rio de Janeiro, ela não conseguia atender essas necessidades, até porque, o foco do mercado dela, o foco do produto dela, era hospedar o site, não construir ele. O problema, é que o mercado está mudando e esse cliente, ele começou a procurar dentro da Hostnet, por pessoas para desenvolver o site. E aí é que entra a proposta, a oportunidade que a empresa está colocando agora para todos vocês. Você, que é o gafanhoto que está aprendendo a criar sites com a gente ou se você tem um amigo que já constrói sites há muito tempo, tem uma carteira de clientes, já atende a algumas pessoas, esse profissional, ele pode ser um franqueado Hostnet. Basicamente ele vai virar uma representação da Hostnet, ele vai virar uma Hostnet, dentro de uma área geográfica, então por exemplo, se um cliente de Salvador ligar lá para a empresa e falar: “Olha, eu sou aqui de Salvador e precisava de um profissional para desenvolver meu site e tal.” “Ó, nós temos uma franquia, nós temos uma Hostnet aí em Salvador, então eles podem te atender.” A gente já agenda, você já pode ir lá diretamente atender o seu cliente e construir o site dele. E você não é um Freelancer, você não é uma empresa pequena, você já é uma empresa de 15 anos de mercado. Eu não sei se te interessa essa oportunidade, mas se te interessar, você acessa agora: hostnet.com.br e lá na página principal, lá em cima, pode clicar em “Seja um franqueado”. Você vai ver quais são os princípios básicos, o que você vai precisar fazer para ser um franqueado, pode colocar lá o seu email de contato e a nossa equipe, na verdade, a nossa direção de marketing vai entrar em contato com você diretamente para esclarecer todas as dúvidas e talvez você seja a Hostnet dentro da sua área, atendendo os seus próprios clientes e quando eles perguntarem: “Quem é você?” Você pode dizer com todo orgulho: “Eu sou Hostnet!” Basicamente essa é uma mudança da empresa, para atender uma necessidade de mercado que foi sendo percebida durante o tempo. Esse é mais um exemplo que eu venho dá para você aqui, de empresas que se adaptam ao mercado onde elas estão incluídas. E aí, tem mais um exercício que eu venho propor a você. Coloca aqui nos comentários, empresas que tiveram que adaptar os seus produtos, serviços ou até mesmo comportamento dessa empresa, dentro de mercados específicos. Cria outros exemplos dessa situação que eu criei aí do McDonald’s. McDonald’s vende Big Mac no mundo inteiro, menos em alguns mercados como, por exemplo, o mercado indiano. Tenta criar outros exemplos, tenta descobrir outros exemplos e coloca aqui nos comentários, com certeza a sua participação vai enriquecer mais ainda esse curso que já está ficando bem legal. E a partir do momento em que você começa a perceber quem são seus clientes, a quem você quer atender, quais são as melhores características de um produto para poder atender as necessidades desse público-alvo, você bate de frente com um conceito importantíssimo que se chama sistema de marketing. Tá lá, você e o seu cliente, você tenta entrar em contato com ele aqui. Antigamente você tinha o contato direto com o seu cliente, você né, entrava em contato direto né, batia de porta em porta, entregava panfletos nas ruas e oferecia o produto. Aí você realizava aquela troca, né, você dá o produto, o cliente faz o pagamento, aquela coisa que a gente já viu durante essa aula toda, ao ter o produto, para poder produzir esse produto para poder entregar, você também tem fornecedores, então existe uma relação entre você e o seu fornecedor também. E às vezes você precisa de estratégias, às vezes uma agência de marketing que te atenda pra criar campanhas especificas
para poder chegar aqueles clientes que você não chegou naquele modelo tradicional em que você consegue o contato direto. Até o momento, com esse desenho que está aqui, tudo mil maravilhas! Aprendi lá no Curso de Marketing Digital com o Guanabara, entendi as necessidades do cliente, criei um produto que atenda as necessidades dele e tudo bonito, ele vai comprar o meu produto, certo? Nem sempre queridão! Isso porque o sistema de marketing prevê uma coisa que vai te incomodar um pouquinho, principalmente no início; a sua concorrência! O seu concorrente vai ter tudo aquilo que você tem, ás vezes, ele vai até como está mostrando aqui do lado, ele vai compartilhar até mesmo o seu fornecedor e a sua agência de marketing por exemplo, então ele vai poder, assim como você detectou todas as necessidades e criou um produto para atender essas necessidades do seu público-alvo, o seu concorrente também está tentando fazer a mesma coisa e às vezes utilizando as mesmas estratégias que você. E aí, o que você faz em uma situação dessa? Você vai precisar de uma estratégia, você vai precisar pensar em um plano para conseguir fazer com que o seu produto chegue mais rápido ou seja melhor, ou tenha diferenciais em relação ao que a sua concorrência oferece. E é aí quando começa a sua dor de cabeça na hora de empreender e criar um produto ou serviço para atender um determinado mercado. E aí, a gente volta lá no processo de marketing, que foi aquilo que a gente viu na aula 01 desse curso, que você tem acesso aqui em cima, onde o primeiro passo que a gente conseguiu destrinchar todinho até o momento, era entender as necessidades do cliente. Nós conseguimos entender as necessidades, conseguimos entender o que é necessidade, desejo e demanda, nós vimos sobre produtos, serviços e experiências, falamos sobre valor, falamos sobre troca, falamos sobre mercado e entendemos esse primeiro momento. E aí chegamos na situação onde tudo está perfeito, entendi as necessidade, mas e a minha concorrência? O que eu vou diferenciar o meu produto e serviço do que está aí no mercado hoje? O que eu vou fazer de diferente? Que estratégia eu vou utilizar? Chegamos ao ponto 2, que é elaborar uma estratégia. E esse ponto, a gente vai ver a partir da próxima aula, porque essa, infelizmente, chegou ao fim. Eu espero sinceramente, de coração, que essas aulas estejam sendo de muita importância para vocês, porque elas estão dando um trabalho gigante para serem construídas, mas com certeza elas estão sendo feitas de coração. E o que eu peço é o mesmo de sempre! Compartilhe esse conhecimento com os seus amigos! Você está aprendendo muito sobre negócios? Você está aprendendo muito sobre marketing? Compartilhe com seus amigos, não vamos prender conhecimento. Prender conhecimento é a pior coisa que a gente pode fazer. Eu poderia ter essa mentalidade, de ter todos os conhecimentos que eu estou passando para vocês e segurar para mim. Não! Eu estou criando um projeto gratuito, que graças a todo esse esforço está sendo patrocinado por empresas que estão acreditando, empresas e pessoas. A gente tem cursos dentro do Curso em Vídeo que são patrocinados por vocês, que são financiados pelos nossos alunos! Isso me dá muito orgulho, porque prender conhecimento é uma coisa que eu nunca vou fazer. Então é isso pequeno gafanhoto, fica aqui o convite para vocês conhecerem um pouquinho mais sobre as franquias da Hostnet, aqui na descrição do vídeo eu vou deixar um link de um Podcast que eu gravei com um dos diretores, um donos da Hostnet apresentando essa proposta. Se você é um empreendedor e quer ter o seu próprio negócio, e quer que a sua empresa já tenha um nome de 15 anos no mercado, avalizando né, roborando né, confirmando a qualidade do seu serviço, dá uma procurada! Não é oportunidade para todo mundo, não é todo mundo que vai ser selecionado, mas eu quero convidar você a participar desse processo de seleção de novos franqueados da empresa. Se você é um cara que quer empreender, que quer ter o seu próprio negócio, sempre quis viver de internet,
viver honestamente, fazendo o seu serviço, criando o seu site… Chegou a hora de você ter a sua oportunidade e a Hostnet está oferecendo ela para você. O treinamento de todos os franqueados, é feito diretamente por mim, vocês vão ter encontros presenciais comigo, vocês vão aprender comigo e com todos os diretores e gerentes da empresa como ser uma empresa de sucesso. Eu espero sinceramente que você esteja muito interessado nesse tipo de processo, fica aqui então o convite para você conhecer um pouco mais sobre ele. Então a gente se ver na próxima aula falando um pouco mais sobre estratégia de marketing
e sua importância dentro do mercado. Um forte abraço e até a próxima!


Continuação: Leia o próximo artigo:  Estratégia, matriz SWOT e UVP – Marketing Digital #06

Retornar: Leia o artigo anterior:  Produtos, Serviços e Experiências – Marketing Digital #04

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Quer aprender técnicas de marketing digital para vender seus produtos ou serviços pelo whatsapp todos os dias?

Receba pagamentos em até 5 minutos!

Vender seu produto ou serviço todos os dias

Conquistar o seu cliente

Imagine triplicar seu lucro